segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

"Carta de Natal de 1945 do exílio para todos os Integralistas no Brasil"

Trago hoje aos leitores do blog Populista um documento raro, escrito durante o exílio do líder Integralista Plínio Salgado em Portugal. Trata-se do documento intitulado "Carta de Natal de 1945", produzido e divulgado dias após o fim do Estado Novo - (1937-1945), abrindo-se um novo horizonte aos camisas-verdes. Aproveito a oportunidade para desejar boas festas a todos os visitantes e um 2014 repleto de felicidades. 


Acima imagem do documento escrito por Plínio Salgado durante seu exílio em Portugal, no ano 1945. 

sábado, 28 de dezembro de 2013

"Vovô Índio presente na Revista de História da Biblioteca Nacional"

A Revista de História da Biblioteca Nacional ao longo das suas diversas edições vem demonstrando uma intolerância incompreensiva ao abordar o Integralismo, em suas diferentes fases, que solta aos olhos de um leitor atento. A edição de dezembro de 2013 não fugiu a regra, o texto  intitulado "O milagre do bom velhinho", escrito pelo jornalista Alexandre Leitão, trata a figura icônica do Vovô Índio de maneira superficial,  sem se preocupar com o universo rico da sua criação, responsável por um amplo debate folclórico e cultural nos anos de 1930. 

Outro fato que chama a atenção sobre o referido texto é o autor se referir ao Integralismo como um mimetismo de movimentos totalitários europeus, algo continuamente desconstruído pela própria academia, possivelmente o autor não teve acesso a trabalhos escritos recentemente, baseando seu  artigo em autores dos anos 1970,além destes fatos a própria imagem do artigo demonstra uma falta de vontade em pesquisar o tema, pela sua facilidade em ser encontrada na Internet. 


Acima titulo do artigo intitulado "O milagre do bom velhinho", escrito pelo jornalista Alexandre Leitão, publicado na edição n.99, dezembro de 2013.

Os interessados em conhecer este artigo poderão encontrar no link:

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

"Feliz Natal e Boas Festa"

Com ou sem Vovô Índio, gostaria de desejar a todos os visitantes e colaboradores do blog Populista um feliz Natal. Neste ano o blog foi responsável em ampliar o debate sobre o Integralismo, em suas diferentes fases, participando, inclusive, de eventos acadêmicos e publicações em revistas especializadas. Um dos projetos idealizados ao longo do ano gostaria de destacar, trata-se da série depoimentos, com esta ideia foi possível registrar o depoimento de treze pessoas que tiveram o Integralismo presente em suas vidas, servindo de fonte para novas pesquisas


Acima ilustração da revista Anauê!, número 22, capa, dezembro de 1937. Interessante observar que a direção da revista optou por ilustrar um Integralista vestido de papai noel, ao invés do personagem vovô índio defendido pelo próprio Integralismo como uma opção para o Natal. 

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

"A presença do Vovô Índio nas comemorações de Natal no Brasil"

O Vovô Índio é um daqueles personagens difíceis de acreditar que existem em nossa cultura, esquecido com o tempo, teve uma vida brevia, porém que marcou o debate intelectual nos anos 1930 a 1940, entre os folcloristas, poetas e artistas nacionais, que viram na figura emblemática deste silvícola a possibilidade de substituir um protagonista pouco condizente com a realidade brasileira, de características europeias, reforçadas após a campanha publicitária do refrigerante Coca-Cola que utilizou a criação do cartunista alemão Thomas Nast para propagar seu produto, ainda nos anos 1930, se tornando reconhecido ainda hoje como a principal interpretação. 

A antipatia no meio cultural com o papai noel que conhecemos atualmente é algo difícil de visualizar hoje, porém o contexto da época era completamente diferente, a poucos anos o país passava por uma transformação cultural, durante a Semana de Arte Moderna de 1922, que aflorou o espirito indianista de uma importante camada artística, criando assim uma aversão a qualquer proposta artística vinda do exterior, portanto, neste momento buscava-se uma identidade própria, sendo livre para experimentar diferentes caminhos e padrões sociais ou estéticos, a figura do índio foi uma das muitas a serem abordadas e valorizadas por ser um homem "natural", livre da influencia europeia, segundo alguns autores do período o "verdadeira pátrio".

Em minhas pesquisas ainda não cheguei a uma conclusão definitiva qual é o autor do Vovô Índio, aparentemente é provável que tenha sido o escritor Christovam de Camargo, por ser o autor do livro Fabulário do Vovô Índio, porém também é possível que outros intelectuais tenham criado o personagem, dentre eles: Monteiro Lobato, Jorge Hurley ou Carlos Maul. Ainda neste caso existe uma outra possibilidade, a criação seja compartilhada entre um desses escritores, sabe-se que Christovam de Camargo, em 1932 lançou um edital público, em 08 de dezembro de 1932, para diferentes artistas ajudarem na criação da imagem do personagem, além do pinheiro, que deveria ser substituído por uma arvore de características nacionais.


Acima imagem da chamada, presente nas páginas do jornal Correio da Manha, do concurso em substituição do Papai Noel pelo Vovô Índio, criado pelo escritor Christovam de Camargo.

A data de criação é outro ponto curioso, os jornais da década 1930, indicam que a proposta de substituição foi lançada em meados de 1932, portanto dificilmente esse personagem foi criado para a Acção Integralista Brasileira - AIB (1932-1937), como alguns pesquisadores sugerem, é provável que o movimento Integralista, possuindo características nacionalistas tenha se apropriado do Vovô índio para espalhar sua mensagem contra a influencia estrangeira na cultura brasileira. Uma das principais vogais do movimento, Gustavo Barroso, criticava publicamente a figura indigna, em um dos seus diversos livros, chamando os que defendem a sua substituição de "falsos nacionalistas", neste caso, vemos uma interessante liberdade de expressão no próprio movimento, aonde um dos seus principais lideres critica a proposta Integralista.


Um dos mais famosos artistas que fizeram parte da Acção Integralista Brasileira - AIB (1932-1937), Oswaldo Teixeira,  publicou nas paginas do jornal Correio da Manha, uma das suas interpretações do Vovô Índio, diferente do papai noel europeu, a criação do artista demonstra que o Vovô Índio surgiu do próprio pau-brasil, arvore simbolo nacional, portanto um simbolo da cultura brasileira.

Algo curioso sobre o fato é o medo dos artistas em não assustar as crianças com a nova proposta, segundo alguns artigos da época os autores deixam claro aos guris e gurias que estes não deixariam de ganhar presentes, porém era sugerido que ao invés de brinquedos de plastico as crianças recebessem presentes feitos em madeira. A propaganda do período irá abordar este tema com bom humor,conforme pode ser vista abaixo:

Acima propaganda da loja de artigos infantis Exposição, vinculada no jornal Correio da Manha

A muitos anos escrevi um artigo intitulado "Papai Noel x Vovô Índio", sendo inclusive replicado e servindo de fonte para muitos autores que tiveram a curiosidade aguçada com o texto. Devido ao longo do tempo os diversos contatos que foram feitos para que explicasse melhor o personagem, sendo inclusive entrevistado por jornais e revistas, estarei elaborando um artigo cientifico sobre o tema, para assim ajudar ainda mais os pesquisadores iniciantes neste assunto em volta de mistérios e curiosidades. 

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

"Série Entrevista XIII - Sr. Murilo Cesar Luiz Alves"


Ficha técnica
Nome: Murilo Cesar Luiz Alves.
Filiação: Hilson José Lima Alves e Marise Luiz Alves.
Estado: Rio de Janeiro - RJ.
Data de nascimento: 28 de outubro de 1963.
Profissão: Servidor Público do Estado do Rio de Janeiro.

Entrevista realizada no mês de dezembro de 2013 pelo pesquisador Guilherme Jorge Figueira com o neto do Veterano da Acção Integralista Brasileira - AIB (1932-1937) Sr. Miguel Antonio Luiz Filho. 


1) Sr. Murilo Cesar Luiz Alves, quais são as primeiras lembranças do senhor referente ao seu avô? Como a memoria dele é abordado por sua família?

Minhas lembranças do meu avô Miguel, remontam, acredito eu, desde 1967. Ele é sempre lembrado como alguém que começou a trabalhar muito cedo, filho do português Miguel Luiz e a filha de portugueses Sara Antonio. 

Quando jovem foi bom estudante, tendo recebido o prêmio de primeiro lugar no curso de técnicas contábeis em 1926, do próprio Professor Lafayet Cortes. E após o casamento em 1939, ter dedicado sua vida toda ao trabalho e a família. O período dos anos 1930, não era comentado pelos contemporâneos da época, e muito menos hoje. Ele era uma pessoa muito calada em relação a si mesmo. Só eu e meu irmão mais velho é que cutucávamos ele sobre o período. Mas, com certeza foi um período intenso na sua vida.

Jovem adulto e antes das obrigações do matrimônio. Serviu no tiro de guerra do 3° Regimento de Infantaria da Praia Vermelha, frequentava a vida social do Tijuca Tênis Clube,  fazia excursões, como a subida ao Pico da Tijuca, participou do movimento integralista de 1934 a 1938, concluiu o curso de graduação em ciências contábeis na Cândido Mendes, e passou no concurso para oficial complementar do Exército, convocação interrompida pelo golpe de 1937, mas logo depois arrumando colocação no IAPC (Instituto de Aposentadorias e Pensões dos Comerciários). D Dedicou sua vida profissional a contabilidade e a previdência social, até parar definitivamente de trabalhar em 1990, na posição de Interventor Federal na caixa de previdência da Caixa Econômica Federal. 

2) Seu avô Sr. Miguel Antonio Luiz Filho, como muitos outros jovens do período fez parte da Acção Integralista Brasileira, por qual motivo o senhor acredita que seu avô fez parte desse movimento social - politico? 

Acredito que ele tenha feito parte do movimento Integralista, primeiro por ter sido a vida toda anti-comunista, e quando jovem, nacionalista. Segundo um bem possível apoio do pai português e conservador, e que provavelmente fez muito gosto que seu filho, nascido no Brasil, participasse de um movimento nativista, reafirmando sua fidelidade a nova pátria. 

3) A Acção Integralista Brasileira fundou diversos núcleos pelo país, seu avô fez parte do núcleo da Tijuca, localizado na Zona Norte do Rio de Janeiro, como se dava a participação dele no núcleo? O senhor poderia contar alguma história lembrada e perpetuada pela sua família?
Bem, me arrependo de não ter "cavado" mais sobre o tema com ele. Como eu disse, era preciso cutucar para que ele "soltasse a língua". Mas, ficava difícil pela zoação do meu irmão mais velho e meu tio mais novo, democratóides, que tachavam o Integralismo de neonazismo. 

A participação dele no núcleo foi junto com seu irmão mais novo Valmir e seu futuro cunhado Rossini. Tio Valnir não era muito convicto, e saiu depois de uma confusão que aconteceu no núcleo de Vila Isabel. Tio Rossini, dizem, chegou a participar da Câmara dos 400. Pode ser que Rossini tenha puxado Miguel, que puxou Valnir para o movimento. De qualquer forma, pelo seu relato, ele teve uma participação atuante e dedicada. Dava cursos doutrinários, foi nomeado coordenador dos economistas, contadores e guarda-livros, da Tijuca. Sua fidelidade chegou ao ponto de fazer com ele estivesse com seu grupo, de prontidão, na madrugada de 11 de maio de 1938 esperando ordens para a ação. Chegando de manhã, as ordens não vindo, ele dispersou o grupo. 

Minha família, contemporânea da época, não gostava de lembrar muito dessa fase. 

4) Muitos camisas-verdes após o fechamento da Acção Integralista Brasileira preferiram deixar a militância de lado e se dedicaram a vida profissional e familiar, seu avô foi uma dessas pessoas? Grande parte desses militantes sofreram implacáveis perseguições, prisões e até mesmo tortura. Por qual motivo o senhor acredita que ele abandonou a vida politica? 

Ele não sofreu perseguições de forma implacável, ou violente. Ele era uma pessoa muito prática e dentro da legalidade. Foi absorvido facilmente pela nova ordem getuliana. Tinha admiração por Dom Helder Câmara, apesar de não ter sido religioso) e Miguel Reale. Por Plínio Salgado, lembrava com uma certa indiferença e ironia. Infelizmente nunca aprofundei o porque dessa decapo. Do Gustavo Barroso, falava com mais entusiasmo. Ele sem foi um civil admirador do Exército e dos militares. Gostava muito do seu cunhado que chegou a General. E por ele o regime militar nunca teria acabado. 

Realmente, quando a AIB entrou na clandestinidade, ele casou, dedicou-se ao trabalho a carreira, a esposa e aos filhos, um verdadeiro Integralista. No entanto, dizia-se camisa-verde arrependido. Talvez um discurso construído ao longo das décadas, para que não prejudicasse sua carreira. O Exército, parece que não gostava muito do Integralismo. Quanto ao Partido de Representação Popular - PRP (1945-1965) para ele foi um total desinteresse. não quis saber mesmo. 

5) Por fim, qual a mensagem que o senhor deixa a todos os jovens que atualmente buscam informações sobre a história do Brasil, em especial do Integralismo? 

São uns heróis, pois em um mundo atual, de futilidades, de mentira e mais mentiras ditos pela mídia. Onde o mais honesto e maior movimento político da história ocidental, é tratado como se fosse meia dúzia de baderneiros e mau-caráter, que foram um nada. Hajam com idealismo, mas não esqueçam que em primeiro lugar vem a família e o trabalho, fazendo isso também poderão ser úteis ao Brasil. 

Caso procurem o Integralismo, não por idealismo, mas interesse acadêmico,dizer um milhão de obrigados pelo interesse, mas que por favor, na medida do possível, e burlando o sórdido patrulhamento ideológico da esquerda carcomida, sejam o mais honestos possíveis com a história deste admirável movimento político. 


---

Abaixo lista de entrevistados:

Entrevistas XIII - Sr. Murilo Cesar Luiz Alves: (http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2013/12/ficha-tecnica-nome-murilo-cesar-luiz.html);

Entrevista XII: Sr. Marco Antonio Rattes Nunes: (http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2013/12/serie-entrevistas-xii-sr-marco-antonio.html);

Entrevista XI: Sra. Ana Carolina Monteiro Porto de Oliveira (http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2013/11/serie-entrevistas-xiii-sra-ana-carolina.html);

Entrevista X: Sr. Jeronimo de Araujo (http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2013/10/serie-entrevistas-xii-sr-jeronimo-de.html);

Entrevista IX Sra. Lieden Maria de Oliveira Carvalho (http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2013/07/ssss.html);








sábado, 14 de dezembro de 2013

"Comissão Vladimir Herzog restitui o mandato de Vereadores Integralistas cassados na Câmara de Vereadores de São Paulo - SP"

A Comissão Nacional da Verdade foi criada pela Lei 12.528/11, e instituída em 16 de maio de 2012, se ampliando em Comissões Estaduais e Municipais por todo o país, complementando assim os trabalhos da Comissão Nacional. Sua finalidade é apurar as graves violações de Direitos Humanos ocorridas entre  18 de setembro de 1946 e 05 de outubro de 1988, porém em alguns locais esse período tem se estendido para o momento histórico que se compreende como Estado Novo (1937-1945), responsável por uma serie de arbitrariedades, como a cassação de direitos políticos e a instauração da tortura como uma política de estado que se perdurou por anos alimentando o medo da oposição é do cidadão comum.

No mês de dezembro o Ato Institucional n°5 completa 45 anos da sua edição, instaurado pelo governo Costa e Silva, este decreto foi o mais severo emitido pela ditadura militar brasileira, responsável pela suspensão das principais garantias constitucionais do cidadão, igualando-se em atrocidades com o Estado Novo. Na tentativa de fazer uma reparação nestes dois períodos, a Comissão Municipal da Verdade Vladimir Herzog (SP) realizou, na noite de 09 de dezembro de 2013, seção solene na Câmara dos Vereadores de São Paulo na qual restitui o mandato dos Vereadores cassados por ambas as ditaduras.

Ao todo foram restituídos o mandato de 42 vereadores cassados por perseguições políticas dos governos autoritários, nos anos de 1937 e 1969. Entre estes Vereadores destacam-se os políticos da Acção Integralista Brasileira - AIB (1932-1937) cassados pelo Ditador Getúlio Vargas após a instauração do Estado Novo. Infelizmente não houve a cobertura habitual da mídia referente a reparação de perseguidos políticos, comum quando se refere a legendas dita de "esquerda", ademais apenas a revista ISTOÉ, edição online,se referiu ao evento, trazendo uma declaração curiosa do Vereador Gilberto Natalini (PV-SP): "São personagens cujo único crime foi declarar preferencia partidária ideológica. Independente de que lado estavam, tinham o direito da livre opinião e foram censurados". Importante lembrar que a Acção Integralista Brasileira era autorizada pelo Tribunal Superior Eleitoral - TSE, portanto existia legalmente podendo divulgar suas propostas abertamente.


Acima imagens do parecer que aprova a homenagem aos Vereadores cassados pelo Estado Novo e o Regime Militar, dentre eles o camisa-verde  Dr. José Ferreira Alves Cyrillo, eleito pela Acção Integralista Brasileira e posteriormente pelo Partido de Representação Popular - PRP (1945-1965),alcançando a presidência regional do partido (Fonte: Diário Oficial do Estado de São Paulo).


Montagem explicativa com quadro sobre candidato Integralista cassado pelo Estado Novo (Fonte: Câmara de Vereadores do Estado de São Paulo).

Aos interessados abaixo as matérias que foram divulgadas pela mídia sobre a iniciativa dos Vereadores de São Paulo.

http://www.camara.sp.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=17829:cerimonia-restitui-mandatos-de-vereadores-cassados-na-ditadura&catid=37:eventos&Itemid=65

http://www.istoe.com.br/reportagens/338611_COMISSAO+DA+VERDADE+DE+SP+DECLARA+QUE+JUSCELINO+KUBITSCHEK+FOI+ASSASSINADO+PELA+DITADURA+MILITAR?pathImagens&path&actualArea=internalPage

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

"Série Entrevista XII - Sr. Marco Antonio Rattes Nunes"

Ficha técnica
Nome: Marco Antonio Rattes Nunes
Filiação: René Nunes e Amaryllis Dagmar Rattes Nunes
Estado: Rio de Janeiro - RJ
Data de nascimento: 19 de maio de 1945
Profissão: Economista

Entrevista realizada no mês de novembro de 2013 pelo pesquisador Guilherme Jorge Figueira com o filho do Pliniano da Acção Integralista Brasileira - AIB (1932-1937) Sr. Amaryllis Dagmar Rattes Nunes.


1) Sr. Marco Antonio Rattes Nunes, quais são as primeiras lembranças do senhor referente ao seu pai?

Meu pai era fechado, não conversava quase. Creio que meu pai não chegou a ser da Acção Integralista Brasileira, por ainda ser uma criança, sendo porém simpatizante até o final da sua vida, até devido aos laços de amizade com seus tios, principalmente tio Olavo. Não acho que tenha tido militância Integralista, mas era bastante anticomunista.  Por uma armadilha do destino ele, sendo jornalista, acabou trabalhando com o Senador Filinto Müller, que me parece foi quem combateu o Movimento Integralista no tempo de Getúlio Vargas. 

2) Não apenas seu pai, como outros membros da sua família fizeram parte da Acção Integralista Brasileira, tendo inclusive cargos de destaque na orgânica do movimento. Na sua opinião por qual motivo o pensamento Integralista teve essa forte penetração no seio familiar? O senhor se lembra de quais parentes vestiram a camisa-verde e qual cargo eles ocuparam? 

Praticamente todos os tios do meu pai eram Integralistas ou simpatizantes, incluindo pelo menos uma mulher, irmã de minha avó paterna de nome Guiomar dos Santos. 

3) Após o fechamento da AIB muitos militantes foram perseguidos, torturados e até mesmo, em alguns casos, morrendo por causa dos ferimentos decorridos da tortura. Devido a essa verdadeira caçada muitos deixaram a vida política, este foi o caso dos seus familiares, inclusive do seu pai? Porque? 

Não tenho real informações sobre o que se passou, mas pelo menos uns três foram presos. Sendo que um deles de nome Olavo, veio a falecer depois. Talvez devido a sequelas da tortura. Minha avó me contou que ele recebeu profundos cortes nas solas dos pés o que o impedida de andar. Esse tio Olavo era muito ligado ao meu pai. 

Também meu avô, pai da minha mãe, ou seja do outro lado, foi perseguido por ser Integralista e teve que se refugir no Sul do país, tempos difíceis, mas nunca me contou nada. 

4) Por fim, qual a mensagem que o senhor deixa a todos os jovens que atualmente buscam informações sobre a história do Brasil, em especial do Integralismo? 

Creio que a Ação Integralista não tenha sido estudada com seriedade, só sendo referenciada negativamente pelos seus pontos de semelhança com o Fascismo e o Nazismo, praticamente sendo omitindo que o movimentos nacionalista e de direita eclodiram por todo o mundo, inclusive contrampose aos movimentos Marxistas que também eclodiam. 

Creio, como estudioso de História, que há espaço para uma corrente como o Integralismo no espaço político brasileiro, de vez que as forças conservadores estão desbaratadas, com exceção da direita corrupta representadas pelo coronelismo político e pelo pregadores do liberalismo econômico e do laissez-faire, que conduzem a um internacionalismo suspeito. 

Creio também que há necessidade de se repensar o ideário conservador e nacionalista para que se possa estar compatível com as novas realidades sociais, políticas e econômicas, e para se poder confrontar e oferecer alternativa tanto ao excessivo liberalismo quanto à política de cunho marxista. Ou seja, liberdade social e política com responsabilidade; liberdade econômica sem esmagamento do povo; dimensionamento adequado do Estado sem excessos mas sem abdicar da funções básicas: saúde, moradia, segurança e trabalho. Sem o que se acirra luta de classes.

Acima de tudo isso o cultivo dos valores superiores: honradez, respeito ao próximo, apego à verdade, e respeito à liberdade de crenças e aos valores nacionais.

---

Abaixo lista de entrevistados:

Entrevista XII: Sr. Marco Antonio Rattes Nunes: (http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2013/12/serie-entrevistas-xii-sr-marco-antonio.html);

Entrevista XI: Sra. Ana Carolina Monteiro Porto de Oliveira (http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2013/11/serie-entrevistas-xiii-sra-ana-carolina.html);

Entrevista X: Sr. Jeronimo de Araujo (http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2013/10/serie-entrevistas-xii-sr-jeronimo-de.html);

Entrevista IX Sra. Lieden Maria de Oliveira Carvalho (http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2013/07/ssss.html);








segunda-feira, 9 de dezembro de 2013

"Ata do II Encontro de História da UGF com o trabalho A Marcha Integralista sobre a Capital da República disponível para download"


Acima imagem da capa do II Encontro de História da Universidade Gama Filho, evento realizado no mês de novembro de 2013 na cidade do Rio de Janeiro. 

Durante os últimos meses divulguei incansavelmente a defesa do trabalho de minha autoria intitulado A Marcha Integralista sobre a Capital da República" nos eventos realizados na Universidade Federal de Juiz de Fora - MG e no II Encontro de História da Universidade Gama Filho - RJ, sendo uma ótima oportunidade para os leitores debaterem ao vivo o tema, além de trocarem experiencias sobre o estudo. 

Na tentativa de ampliar ainda mais o debate enviei o trabalho para publicação nas atas dos dois eventos academicos, sendo que os responsáveis pela publicação do documento da Universidade Gama Filho já o publicaram, estando disponível  para o público através do endereço: www.ehugf.blogspot.com.br/p/publicacoes.html.

Nas páginas 345/350 o leitor poderá encontrar meu trabalho, além deste texto recomendo a leitura do artigo O desenvolvimento do projeto corporativista brasileiro (1930-1945), de autoria da Prof. Mariana Dietrich Santos. 


Acima imagem da primeira folha do trabalho A Marcha Integralista sobre a Capital da República, publicada na Ata do II Encontro de História da Universidade Gama Filho, localizada no Rio de Janeiro - RJ. 

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

"Estudando o Integralismo através do Departamento de Ordem Política e Social "



Acima imagens da ficha de Plínio Salgado no Departamento de Ordem Política e Social – Deops, nota-se a quantidade abundante de páginas referentes ao seu monitoramento.

Em abril de 2013 comentei sobre os arquivos do Departamento de Ordem Política e Social – Deops presentes no Arquivo Público do Estado de São Paulo e sua importância para o estudo da temática. Recentemente tive a oportunidade de pesquisar um pouco mais neste acervo de grande importância para história do país.

Durante a pesquisa algo chamou minha atenção, trata-se das centenas de páginas dedicadas a Plínio Salgado, nas diferentes fases de sua vida, uma em especial, o período em que ficou foragido das autoridades durante o Estado Novo, até sua definitiva prisão e exílio para Portugal.

Infelizmente momento é muito pouco retratado nas pesquisas, principalmente a intensificação da busca após a fuga do Dr. Belmiro Valverde da Casa de Correção, em 1938, este fato é comentado rapidamente no livro escrito pela Maria Amélia Salgado Loureiro intitulado Plínio Salgado - meu pai. Recomendo aos leitores a compra desta obra pela quantidades de detalhes da vida do principal líder Integralista.

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

"Jornal da Cidade de Rio Claro divulga lançamento de livro sobre Plínio Salgado"


Acima imagem parcial da capa do Jornal da Cidade de Rio Claro, publicação destinada a região de Rio Claro e proximidades, publicado no dia 30 de novembro de 2013.

No último final de semana foi lançado o livro “Dos papéis de Plínio: contribuições do Arquivo de Rio Claro para a historiografia brasileira”, produzido pelo Arquivo Público e Histórico de Rio Claro, no Gabinete de Leitura. O evento foi um sucesso, sendo amplamente divulgado na imprensa local, demonstrando a importância do Arquivo para história do país. 

Em nome do blog Populista parabenizo os idealizadores da publicação, em especial aos funcionários do Arquivo responsáveis por preservar este importante acervo da história do Integralismo em todas as suas fases. Os interessados em ler a edição online podem encontrar no link:

http://www.aphrioclaro.sp.gov.br/wp-content/uploads/2011/05/Livro-Dos-Pap%C3%A9is-de-Pl%C3%ADnio-Dotta-e-Teresa-Arruda.pdf


Reportagem publicada no Jornal da Cidade de Rio Claro, sobre o lançamento do livro fruto de diferentes pesquisas realizadas no Público e Histórico de Rio Claro, página D-3, do dia 30 novembro de 2013. Aos interessados em ler a matéria, acessem:

 http://pt.calameo.com/read/000091364359b54928c3c

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

"Lançamento de livro sobre o Integralismo em Rio Claro - SP"

O lançamento do livro “Dos papéis de Plínio: contribuições do Arquivo de Rio Claro para a historiografia brasileira”, produzido pelo Arquivo Público e Histórico de Rio Claro, acontece no dia 30/11/2013, às 16 horas, no Gabinete de Leitura. O evento acompanha o 64º Bate-papo Cultural que apresenta a palestra do historiador Alexandre de Almeida sobre o tema "Jovens de Direita: trajetória e a agenda política de organizações nacionalistas juvenis contemporâneas”.

O livro sobre o líder integralista, organizado por Renato Alencar  Dotta e Maria Teresa de Arruda Campos, foi escrito a partir das pesquisas realizadas no Fundo Plínio Salgado, que se encontra disponível para pesquisa no Arquivo Público e Histórico de Rio Claro. 

Doado em 1985 pela viúva de Plínio, Carmela Patti Salgado, o acervo é composto por mais de 50 mil ítens que incluem correspondências, livros, fotografias, jornais e revistas, além de objetos pessoais do dirigente político.  O Fundo Plínio Salgado tem atraído a atenção de pesquisadores de vários pontos do Brasil para Rio Claro pela sua qualidade e quantidade de documentos. 

A edição sobre os papéis de Plínio Salgado é uma coletânea de oito artigos extraídos de pesquisas acadêmicas. Além das teses, um capítulo do livro foi dedicado à imagens, com cerca 200 fotografias que retratam a abrangência e penetração do integralismo em terras brasileiras.

“O livro é extremamente auspicioso porque aponta uma mudança no cenário histórico e confirma o acerto de decisões tomadas há mais de trinta anos”, comenta a historiadora Ana Maria de Almeida Camargo, ao destacar o papel do Arquivo de Rio Claro na construção de uma historiografia focada no Brasil contemporâneo. 

Doutorando em História Social pela Universidade de São Paulo, Renato Dotta falará no lançamento da obra literária sobre Plínio Salgado como uma das personalidades políticas mais importantes e polêmicas do Brasil no século XX . 



Acima imagem do Núcleo Integralista de Rio Claro - SP (Fonte: Arquivo Público e Histórico de Rio Claro). 

 A 64ª edição do projeto Bate-papo Cultural traz também a palestra do historiador Alexandre de Almeida que descreve a trajetória e os elementos políticos de algumas organizações brasileiras contemporâneas, compostas por jovens que partilham de ideais nacionalistas. 


Registo fotográfico de Plínio Salgado discursando para os presentes (Fonte: Arquivo Público e Histórico de Rio Claro). 

Com mestrado em Ciências Sociais, Alexandre de Almeida é doutorando em História Social pela Universidade de São Paulo e  pesquisador associado do Grupo de Estudos do Integralismo e outros movimentos nacionalistas (UFF-CNPq).

O evento cultural será aberto ao público e oferecerá certificado de participação aos presentes. O Gabinete de Leitura se localiza na Avenida 4, nº 427, entre as ruas 5 e 6, no Centro. Mais informações sobre o encontro cultural podem ser obtidas pelo telefone 3522.1938.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

"Revista de História da Biblioteca Nacional compara o Integralismo ao Fascismo"


Acima imagem da reportagem "Ilusões Fascista", de autoria do Prof. Franco Savarino, publicado na Revista de História da Biblioteca Nacional, de novembro de 2013, página 71/75.

A edição de novembro de 2013 da Revista de História da Biblioteca Nacional traz em suas páginas a matéria "Ilusões fascistas", de autoria do Professor da Escola Nacional de Antropologia e História do México Franco Savarino, uma das muitas reportagens já publicadas sobre o Integralismo, em suas diferentes fases, no periódico de responsabilidade da Biblioteca Nacional. 

Como é comum, o autor do artigo caiu no erro crasso de interpretar o Integralismo como um mimetismo do Fascismo Italiano, perdendo a oportunidade de ampliar o debate, trazendo ao leitor aspectos únicos da doutrina do Sigma que confrontam com doutrinas alienígenas, demonstrando sua originalidade. O interessante da matéria é justamente o artigo indicar a obra de Hélgio Trindade intitulada "Integralismo: O fascismo brasileiro na década de 30", publicada em 1979, como referencia biográfica, considerada por muitos especialistas sobre o tema ultrapassada nas suas conclusões sobre a temática.

Acredito que o autor possa ter tido dificuldades em encontrar fontes sobre o tema, devido a ser estrangeiro, porém expus meu descontentamento com o artigo através de  uma carta de repudio à publicação, alertando sobre a interpretação equivocada do autor, para os interessados minha mensagem enviada à revista segue ela abaixo: 

"Prezada Revista de História da Biblioteca Nacional, muito me surpreendeu o artigo intitulado "Ilusões fascistas", é incrível como o pesquisador expõe interpretações ultrapassadas sobre o integralismo, desconstruídas pela própria academia, que se debruça sobre o tema produzindo continuamente trabalhos em varias orbitas sobre o Integralismo. Entendo que o autor do artigo é estrangeiro e pode não ter acesso ao que se produz atualmente sobre a história da Acção Integralista Brasileira - AIB (1932-1937), porém construir um artigo baseado apenas em uma obra como a do Hélgio Trindade, quando se refere ao Integralismo, produzida nos anos 1970, que considera o Integralismo como mimetismo do Fascismo é no mínimo minimizar um debate amplo e rico para compreender o Brasil nos anos 1930. Como leitor vejo que foi perdida uma ótima oportunidade em se abordar o Integralismo, um tema em voga hoje no debate histórico é presente na programação da televisão aberta, com a novela "Joia Rara". Obrigado. Guilherme Jorge Figueira (Rio de Janeiro - RJ). 




Acima imagem da última pagina reportagem "Ilusões Fascista", de autoria do Prof. Franco Savarino, publicado na Revista de História da Biblioteca Nacional, de novembro de 2013, página 71/75. Nesta parte aparece uma foto de plinianos uniformizados publicada no livro "Imagens do Sigma", publicado pelo Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro - APERJ. 

Para ler a referida reportagem basta clicar em:
http://www.revistadehistoria.com.br/secao/artigos-revista/ilusoes-fascistas

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

"A Acção Integralista Brasileira e a Intentona Comunista de 1935"

Todos os anos o Comando Militar do Leste - CML promove solenidade em homenagem às vitimas da Intentona Comunista de 1935, em frente ao Monumento aos Soldados mortos durante o evento que tentou implementar o Comunismo no país, localizado na Praia Vermelha, no Bairro da Urca - RJ. Esta imponente escultura, com características da arquitetura futurista, lembra as dezenas de militares tombados durante as investidas dos militantes Comunistas comandados por Luís Carlos Prestes (1898-1990) nas ações promovidas em Natal, Recife e Rio de Janeiro. 

Durante os debates que esta data suscita pouco se fala do papel da Acção Integralista Brasileira - AIB (1932-1937) neste evento, muito menos da iniciativa do Chefe Nacional Plínio Salgado em disponibilizar 100.000 camisas-verdes para auxiliar o poder constituído na repressão ao levante. Além deste fato, muitos Integralistas neste momento de agitação apresentaram-se voluntariamente em instalações militares para ajudar as forças armadas durante a ação revolucionaria, outro ponto importante foi a obra cívica-doutrinaria promovida pelo movimento do Sigma que foi responsável por  arrebanhar muitos militares para as fileiras Integralistas, impedindo o crescimento do Comunismo no meio militar. 

Recentemente um leitor do blog Populista me alertou para um vídeo sobre este evento histórico, eu particularmente desconhecia, após assistir o filme constatei que os erros sobre Integralismo são os já praticados por muitos, porém a obra é interessante por apresentar uma narrativa envolvente e imagens da época. Os interessados em assistir a obra cinematográfica podem encontrar em: http://www.youtube.com/watch?v=MAZVral9UyQ

Aos interessados em comparecer na solenidade, segue as informações:

Solenidade em homenagem às vítimas da Intentona Comunista de 1935

Data: 26 de novembro de 2013
Horario: 08h30
Local: Monumento Situado na Praça General Tibúrcio - Praia Vermelha - Urca
Uniforme / Traje: Militares do Exército - 3° D1
Militares da Reserva e Civis - Esporte Fino
Demais Forças - o correspondente.
Maiores informações: http://www.cml.eb.mil.br


Após bombardeio, militares vigiam o 3° Regimento de Infantaria, na Praia Vermelha, no Rio de Janeiro, onde foi iniciado o levante da Intentona Comunista (Fonte: Acervo O Globo). 

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

"Aspectos e impressões sobre a apresentação do trabalho A Marcha Integralista sobre a Capital da República na XXX Semana de História da UFJF"

Foi com enorme satisfação que apresentei no dia 19 de novembro de 2013, às 14:20, o trabalho "A Marcha Integralista sobre a Capital da República", durante a XXX Semana de História da Universidade Federal de Juiz de Fora. Iniciada com um pouco de atraso, o evento foi uma oportunidade única para novos pesquisadores trocarem impressões e experiencias sobre o estudo da temática, em solo mineiro, com a apresentação de trabalhos que trazem novas perspectivas para compreender o Integralismo e o meio no qual estava inserido. 

Durante o evento uma pesquisa em especial me chamou a atenção, trata-se do trabalho produzido pelo estudante da Universidade Estadual do Rio de Janeiro - UERJ Vinicius da Silva Ramos intitulado "A Batalha da Praça da Sé: o Brasil em verde e vermelho", nele o autor analisa o evento através de alguns periódicos da época, dentre eles o jornal O Globo, algo diferente do único livro escrito especificamente sobre o confronto de autoria do escritor Eduardo Maffei, com o titulo "A Batalha da Praça da Sé". 

Em nome do blog Populista agradeço os organizadores do evento pela oportunidade em expor mais este trabalho de minha autoria. Lembro aos leitores que na próxima semana estarei na Universidade Gama Filho - UGF, campus Piedade, apresentando o mesmo trabalho, aos que não tiveram oportunidade em ir a Minas Gerais poderão conferir o trabalho no Rio de Janeiro.


Acima imagem parcial da sala C-II-05, no Instituto de Ciências Humanas - ICH da Universidade Federal de Juiz de Fora, no dia 19 de novembro de 2013, durante a apresentação do trabalho A Marcha Integralista sobre a Capital da República.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

"Apresentação do trabalho A Marcha Integralista sobre a Capital da República durante a XXX Semana de História da UFJF"

Prezados leitores do blog Populista, amanha, dia 19 de novembro de 2013, às 13:30, estarei apresentando o trabalho “A Marcha Integralista sobre a Capital da República”, no Simpósio temático “Direita, Autoritarismo e Memória”, um dos muitos eventos que serão realizados durante a XXX Semana de História da Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF.

Gostaria de chamar a atenção para os amigos de algumas mudanças que ocorreram, principalmente nos horários e dias das apresentações, abaixo segue o programa completo do Simpósio “Direita, Autoritarismo e Memória”, coordenado pelos Prof Dr. Leandro Pereira Gonçalves e Prof. Ms. Pedro Ivo Tanagino. 


Acima programa completo do dia 19 e 20 de novembro de 2013, do Simpósio Temático Direita, Autoritarismo e Memória, que será realizado nas dependências da Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF. 

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

“Integralista Othon Gama D´Eça é homenageado com prêmio pela Academia Catarinense de Letras – ACL”

A Acção Integralista Brasileira – AIB (1932-1937) teve em seus quadros vogais com diferentes características que marcaram profundamente a história da sua região, devido em grande parte a sua militância politica e profissional, tendo em alguns casos seus nomes sido homenageados em diferentes honrarias que lembram a história de lutas destes camisas-verdes. Um desses muitos casos é do advogado Dr. Othon Gama D´Eça, nascido em Florianópolis – SC, foi um importante advogado, jornalista e poeta, figura de destaque no estudo das ciências jurídicas do país, foi responsável por diversos trabalhos sobre a história do direito brasileiro publicadas em jornais e revistas.

Através de Othon D’Eça a Acção Integralista Brasileira foi fundada em Santa Catarina - SC, no início de abril de 1934, ocupando o cargo de Chefe Provincial, tendo o Integralismo se expandido rapidamente em toda a região devido aos seus esforços, estando presente em diferentes solenidades pelo interior e sido responsável pela direção do jornal Integralista Flamma Verde, além de promover inúmeros congressos, servindo como um difusor do Sigma pela região que sofreu por parte do governo Estadual forte oposição, promovendo prisões arbitrarias e fechamentos de núcleos pelo Estado.


Recorte de jornal  A Offensiva, n°37, 24 de janeiro de 1935, página 05, sobre o aniversário da cidade integralista de Itajahy - SC, que contou com a presença do Chefe Provincial Othon Gama D´Eça,

Em toda sua biografia destaca-se por ter sido um dos fundadores da Academia Catarinense de Letras - ACL, responsável por todo o ano indicar o Prêmio Especial Othon Gama D’Eça, que premia a obra de maior relevância para a literatura do Estado durante o ano, sendo em 2012 o ganhador desta honraria o escritor Celestino Sachet, com a obra “A Literatura dos Catarinenses – Espaço e caminhos de uma identidade”, editado pela Unisul. 


Acima imagem do jornal Flamma Verde, publicação semanal de responsabilidade da Acção Integralista Brasileira, tendo como diretor o Chefe Provincial Dr. Othon D’Eça.

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

"Apresentação do trabalho A Marcha Integralista sobre a Capital da República durante o II Encontro de História da UGF"

Recentemente informei aos amigos a aprovação do trabalho “A Marcha Integralista sobre a Capital da República”, no evento que será realizado na Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF, durante a XXX Semana de História, sendo uma ótima oportunidade para os pesquisadores e curiosos da região, assistirem a apresentação de um trabalho acadêmico sobre uma das últimas manifestações da Acção Integralista Brasileira – AIB (1932-1937).

Para minha surpresa, o mesmo trabalho foi selecionado para participar do II Encontro de História da Universidade Gama Filho - UGF, no dia 25 de novembro, entre 16:00 às 18:00 horas, no Simpósio temático intitulado História do Brasil República (sessão 01), coordenado pelas Profa. Dra. Mariene Antunes (UGF) e Profa. Dra. Ana Vasconcelos Ottoni (UFF), no Campus da Piedade, localizado na Rua Manoel Vitorino, n.553, Piedade, Rio de Janeiro – RJ, sendo uma ótima oportunidade para os interessados, residentes no Rio de Janeiro, assistirem este trabalho.

Aos frequentadores do blog Populista do Rio de Janeiro ou de Minas Gerais que tiverem interesse em prestigiar com a presença durante a exposição do estudo e tiverem qualquer duvida, não deixem de entrar em contato por e-mail, estou a disposição para esclarecimentos.


Acima programação do II Encontro de História da Universidade Gama Filho. Para maiores informações sobre o evento, acesse: www.ehugf.blogspot.com.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

"Série Entrevista XI - Sra. Ana Carolina Monteiro Porto de Oliveira"

Ficha técnica
Nome: Ana Carolina Monteiro Porto de Oliveira
Filiação:  Hipólito Nogueira Porto e Layr Monteiro Porto
Estado: São Paulo - SP
Data de nascimento: 08 de fevereiro de 1946
Profissão: Escritora

Entrevista realizada no mês de novembro de 2013 pelo pesquisador Guilherme Jorge Figueira com a filha do veterano da Revolução Constitucionalista de 1932 e da Acção Integralista Brasileira - AIB (1932-1937) Sr. Hipólito Nogueira Porto.


Acima, imagem de Integralistas em Taquaritinga - SP, ao centro o Sr. Hipólito Nogueira Porto (Fonte: Família Nogueira Porto). 

1) Sra. Ana Carolina, quais são as primeiras lembranças da senhora referente ao seu pai? Como a memoria dele é abordada por sua família?

Minhas primeiras lembranças de meu pai, logicamente são ditadas pela saudade e quem manda na saudade é o coração e “o coração tem razões que a própria razão desconhece”, já cantava o poeta. Apesar disso não existe pieguice nessas lembranças. Meu pai foi um homem duro, corajoso que tinha seus momentos de docilidade. Assim foi como pai, marido e consigo próprio.

Sua memória é abordada por nós filhos e netos com saudade e também com riso, pois tinha um que de loucura na sua coragem.

2) Seu pai Sr. Hipólito Nogueira Porto, como muitos outros jovens do período, lutou na Revolução Constitucionalista de 1932, que ceifou a vida de inúmeros jovens paulistas, por qual motivo a senhora acredita que seu pai lutou nesta batalha?

Relendo seus escritos e diários (atualmente), pude conhecer um outro lado que desconhecia. O idealista e seu amor à pátria. Transcrevo algumas de suas palavras: “Luta com quem? Matar, morrer por quem? Não tínhamos respostas às perguntas que estavam dentro de nossos corações, mesmo assim partimos alegres e dispostos a tudo. Fomos para frente, empunhando os fusíveis, sofrendo as agruras do tempo na Serra do Mar. Como D. Quixote procurávamos o invisível inimigo”. 


Imagem do  Sr. Hipólito Nogueira Porto com o uniforme de combatente da Revolução Constitucionalista de 1932 (Fonte: Família Nogueira Porto). 

3) Após o termino da Revolução Constitucionalista de 1932, o poeta, escritor e politico Plínio Salgado lançou a Acção Integralista Brasileira – AIB (1932-1937). Muitos dos jovens que lutaram na revolução também fizeram parte do movimento Integralista, inclusive seu pai, a senhora saberia dizer por quais motivos o Sr. Hipólito Nogueira Porto se tornou camisa-verde?  

Como muitos jovens a experiência na Revolução de 32, deixou-os desiludidos: “A revolução constitucionalista de 32, terminou melancólica e triste enchendo de desilusões nossos jovens corações. Enfim valeu a experiência, diziam alguns, outros como eu e meus conterrâneos levamos para casa uma mágoa profunda. A nossa imatura vida no interior, onde aprendemos a ser decentes e lutar pelos nossos ideais, essa revolução, mais que a derrota, ela nos arrasou moralmente. Quando retornamos da frente de combate, como animais acuados e assustados encontramos o nosso S. Paulo cheio de soldados vindos de todo Brasil a desfilar pelas ruas afrontosamente (...)”.

Em outro trecho que não acho agora, ele diz que diante de seu estado de espírito, ele viu no movimento Integralista a realização de seus ideais  Não acredito que tivesse um conhecimento profundo do que era o movimento, apenas mais uma vez deixou-se levar pelo seu idealismo e quem sabe curar seu desapontamento com a revolução.


Acima, aspectos de um desfile Integralista nas ruas de Taquaritinga - SP, neste evento a Sra. Layr Monteiro Porto, mãe da entrevistada, esteve presente, além do seu tio materno (Fonte: Família Nogueira Porto).

4) O Integralismo teve forte presença em São Paulo, principalmente no Interior, tendo algumas cidades recebido o titulo de “Cidades Integralistas”, além do seu pai sua mãe também foi blusa-verde, a senhora teve outros familiares Integralistas? A senhora poderia nos contar alguma história sobre as manifestações que eles participaram, se conheceram a esposa ou o próprio Plínio Salgado?

A família do meu pai residia em Taquaritinga, mas tinha propriedades em Itápolis e Nova América. Locais onde o movimento teve muita repercussão. Apesar de residir também em Taquaritinga, ainda não encontrei nenhum relato onde ele tivesse contato com Plínio Salgado.

Do lado da minha mãe, tenho fotos dela e de seu irmão trajando o uniforme, mas desconheço detalhes do envolvimento.


Registro fotográfico do Sr. Hipólito Nogueira Porto com a farda Integralista (Fonte: Família Nogueira Porto). 

5) Por fim, qual a mensagem que a senhora deixa a todos os jovens que atualmente buscam informações sobre a história do Brasil, em especial do Integralismo?

Não podemos deixar nossa história morrer. Apesar de sermos um país relativamente novo, temos uma história rica que precisa ser lembrada. Somos o que somos, porque pessoas no passado construíram nosso presente e depende de nós manter a memória de nosso país para que ela não morra, mas faça parte de nossa vida.

Um povo sem lembranças é um povo sem memória. Quanto ao movimento Integralista, Revolução de 32 e outros episódios, com suas partes positivas e também negativas, são amas importantes para nossa consciência política. Ser brasileiro é fazer parte de sua história vive-la e construí-la, para não corremos os riscos de cometermos os mesmos erros. 


Acima, imagem de Plinianos fazendo a saudação Integralista em Taquaritinga - SP (Fonte: Família Nogueira Porto). 

* Obs: A entrevistada é autora do blog http://www.nogueiraporto.blogspot.com.br

---

Abaixo lista de entrevistados:

Entrevista XII: Sr. Marco Antonio Rattes Nunes: (http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2013/12/serie-entrevistas-xii-sr-marco-antonio.html);

Entrevista XI: Sra. Ana Carolina Monteiro Porto de Oliveira (http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2013/11/serie-entrevistas-xiii-sra-ana-carolina.html);

Entrevista X: Sr. Jeronimo de Araujo (http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2013/10/serie-entrevistas-xii-sr-jeronimo-de.html);

Entrevista IX Sra. Lieden Maria de Oliveira Carvalho (http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2013/07/ssss.html);








segunda-feira, 4 de novembro de 2013

"Apresentação do trabalho A Marcha Integralista sobre a Capital da República durante a XXX Semana de História da UFJF"

No mês de setembro comentei no blog Populista a inscrição do meu trabalho "A Marcha Integralista sobre a Capital da República, conforme já esperava, recebi recentemente por parte da Comissão Organizadora a confirmação que meu trabalho foi selecionado para o Simpósio Temático "Direita, autoritarismo e memória", realizado durante a XXX Semana de História da Universidade de Juiz de Fora. 

Esta é uma ótima oportunidade para os pesquisadores sobre Integralismo, moradores de Minas Gerais - MG, irem a um simpósio dedicado ao estudo da temática, algo nem sempre presente nos encontros acadêmicos de história, principalmente regionais, além do meu trabalho outros estudiosos sobre o tema também estarão apresentando seus estudos, segue a lista aos interessados em assistir as apresentações sobre o movimento Integralista:

Terça-feira (19/11/13), horário 13:00 às 15:00. 
- Vinícius da Silva Ramos: "A Batalha da Praça da Sé: o Brasil em verde e vermelho."
- Marcia Regina da Silva Ramos: "Registros do Integralismo fluminense na Revista Anauê!"
- Guilherme Jorge Figueira: "A Marcha Integralista sobre a Capital da República"
- Pedro Ivo Dias Tanagino: "Ação Integralista Brasileira: Um partido revolucionário militarizado de direita no Brasil entre guerras".

Quinta-feira (21/11/13), horário 13:00 às 15:00:
- Nuno Simão Ferreira: "O apelo Integralista do pós-guerra à união de uma liga pan-latina"
- Leandro Pereira Gonçalves: "Os Integralistas no Golpe de 1964"



Acima imagem da carta de aceite do trabalho "A Marcha Integralista sobre a Capital da República", que será apresentada durante o XXX Semana de História da UFJF. 

Abaixo o link com o mapa e endereço do evento, além da programação completa:



terça-feira, 29 de outubro de 2013

"Analise sobre o livro Biografia Orientativa sobre o Integralismo (1932-2007)"

Durante o V Encontro Nacional de Pesquisadores do Integralismo, 81 anos da Ação Integralista Brasileira, realizado na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas do Departamento de História da Universidade de São Paulo - USP, tive a oportunidade de ter contato com diversas obras sobre o Integralismo, publicadas em parceria com o Grupo de Estudos do Integralismo - GEINT ou pelo Arquivo Público e Histórico de Rio Claro - SP, dentre elas duas imediatamente chamaram a atenção, sendo adquiridas por mim, são elas, Biografia Orientativa sobre o Integralismo (1932-1937) e Integralismo Novos Estudos e Reinterpretações. Aproveito a oportunidade que o Blog Populista proporciona para fazer uma analise sobre a primeira obra.

O livro escrito pelo Dr. Prof. Jõao Fábio Bertonha, editado pela Funep, em 2010, é uma obra obrigatória para quem estudo o Integralismo. Escrito em linguagem simples e de fácil acesso a um leitor iniciante sobre o tema, traz uma rica lista de referências com algumas obras até mesmo desconhecida por mim, como por exemplo: Furtado, Antônio. A significação da mulher brasileira no Integralismo. Fortaleza: Oficina Gráfica do Atelier Royal, 1933

Sugiro a compra por parte de todos os acadêmicos que se debruçam sobre o tema. Particularmente o livro me seduziu de tal forma que acabei lendo em um folego apenas. Sobre sua aquisição, esta pode gerar um pouco de dificuldades, porém o interessado pode entrar diretamente em contato com o Arquivo Público e Histórico de Rio Claro, pelo e-mail arquivo@aphrioclaro.sp.gov.br, aonde a obra é vendida por módicos R$ 10,00, um preço mais do que convidativo.


Acima imagem da capa do livro Biografia Orientativa sobre o Integralismo (1932-1937), escrita pelo Dr. Prof. Jõao Fábio Bertonha, editado pela Funep, em 2010. 

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

"Arquivo Público e Histórico de Rio Claro lança Revista n°12 durante Bate-Papo no Gabinete de Leitura"

O Arquivo Público e Histórico de Rio Claro, lança no dia 29 de outubro, às 20 horas, no Gabinete de Leitura, localizadona Avenida 04, n° 427, entre as Ruas 05 e 06, no Centro, a Revista do Arquivo, que conta com 18 artigos redigidos por pesquisadores, professores e escritores da região, que abordam diferentes aspectos de Rio Claro em diferentes áreas. 

Os exemplares da revista estarão disponíveis gratuitamente durante o evento, os interessados em adquirir a publicação posteriormente, poderão comprá-la na sede do Arquivo Público ou pela Internet, pelo preço de cinco reais. Maiores informações pelo telefone (19) 3522-1938 ou pelo site: www.aphrioclaro.sp.gov.br.

Durante o lançamento da revista será realizado o 61° Bate-papo Cultural, com a palestra da Arquiteta Mônica Frandi Ferreira, sobre a moradia urbana em Rio Claro, entre as décadas de 1930 e 1960, tema de sua dissertação de Mestrado em Arquitetura. Como já é de costume o evento é aberto ao público.


Acima imagem de divulgação do 61° Bate-papo Cultural e lançamento da Revista do Arquivo n°12, evento promovido pelo Arquivo Público e Histórico de Rio Claro.