terça-feira, 15 de março de 2011

“Série Entrevista III – Sr. Rufino Levi de Ávila”

Ficha técnica
Nome: Rufino Levi de Ávila
Filiação: Levy Carvalho de Ávila e Francisca Ferreira D’ Ávila
Estado: São Paulo - SP
Data do nascimento: 21 de janeiro de 1934
Profissão: Jornalista

Entrevista realizada no mês de março de 2011 por Guilherme Jorge Figueira com o Águia Branca, membro do Centro Cultural da Juventude - CCJ, denominado “Grêmio Cultural Jackson de Figueiredo”, entidade estudantil ligada ao Partido de Representação Popular – PRP (1945-1965) Sr. Rufino Levi de Ávila.



Registro fotográfico realizado no Seminário Diocesano Nossa Senhora do Rosário. Na imagem dos anos 50 os Companheiros de Marília - SP são recebidos em Lins - SP para uma sessão Cívica idealiza pelo Centro Cultural da Juventude - CCJ. Durante o evento o Presidente de Honra do CCJ  Plínio Salgado esteve presente e falou na Radio Piratininga. Na imagem Srs. Aníbal Marotti, Rufino Levi de Avila, Olavo Nery Corsatto e Jose Galatti Pacheco.


1) Sr. Rufino Levi de Ávila, sempre há o começo na militância política, como foi o seu início?

Minha “militância Política” foi iniciada desde meus oito anos, quando influenciado por meu irmão, li “Nosso Brasil” (que começava com um apelo: “Venha cá, pequenos brasileiros...”) e me emocionei, além de observar aquele irmão pregando cartazes da campanha do PRP (em campanha da candidatura do Brigadeiro Eduardo Gomes, apoiado pelo Chefe) e seus candidatos.

Nessa época estive no Seminário (45 a 50) e não tive contato com o Movimento, embora Plínio tivesse até visitado o Seminário em 1950, quando nos dirigiu a palavra, todo de branco, tendo me emocionado ainda mais. Depois, procurei ler “Primeiro Cristo”, “Livro Verde da Minha Campanha”, “Vida de Jesus” e outros. Nunca me filiei oficialmente, por ser interno. 

2) O senhor fez parte do Partido de Representação Popular - PRP, que aglutinou diversos Integralistas da antiga AIB? Chegou a fazer parte da direção de alguma dessas entidades?

Como disse, nunca fui filiado nem ao PRP, muito menos á AIB, pois em 1937, quando foi fechada a AIB, em 1938, eu tinha apenas 3 a 4 anos. Não participei da direção do PRP, apenas meu irmão, já citado. 

3) Chegou ao nosso conhecimento que o senhor conheceu Plínio Salgado, como foi esse encontro?

Tive a honra de conhecer pessoalmente nosso mestre Plínio Salgado, por ocasião de sua visita a Lins – SP, acompanhado de outros próceres, inclusive seu genro, José Loureiro Junior, passando pelo Seminário Diocesano.

4) Infelizmente o Movimento Águia Branca e pouco conhecido e estudado pela historiografia nacional, o senhor poderia nos fazer um breve relato elucidativo sobre a entidade estudantil?

O Movimento Águia Branca era o simbolismo das alturas, porque os Centros Culturais da Juventude – CCJ, em torno de meio milhar, incutia nos jovens os princípios morais e culturais, com palestras e debates.

Nessa época, sim, entrei de corpo e alma no Grêmio Cultural Jackson de Figueiredo, em São Paulo, quando prestei juramento após a leitura dos princípios básicos do Movimento, assim respondi, com outros do meu tempo: “Aceito estes princípios e prometo, perante Deus, trabalhar por eles”.  

Participei do Congresso da Confederação dos Centros Culturais da Juventude que reuniu centenas de representantes, com faixas com o nome de cada Centro participante, realizando concentração na Praça João Mendes, atrás da Catedral de São Paulo.

No desfile, cantávamos o “Ergue-te, mocidade”, hino composto pelo presidente de Honra, Plínio Salgado. Guardo muita saudade daquela época, embora fosse uma demonstração de coesão bem aquém da dos anos 30 que, certamente, pelos relatos que obtivemos, eram estrondosas, intimidando ate os comunistas, que se uniram armados para atacar os camisas verdes; isso falando dos anos 30, que não tive, obviamente, oportunidade de assistir.

5) Por fim, qual a mensagem que o senhor deixa a todos os jovens que
atualmente buscam informações sobre a trajetória do movimento Integralista?

Por fim, espero que os jovens não se deixam enganar pela falácia e pelo engodo dos atuais políticos, a maioria politiqueiros do pior quilate. Que todos comecem a conhecer um caminho cristão e segui-lo fielmente, procurando entender-se com todos, pois o Integralismo é ecumênico e só com o estudo, a educação, o respeito e o entusiasmo persistente poderemos fortalecer o Ideal e lutar pelo Brasil com Deus, a Pátria e a Família.

---

Abaixo lista de entrevistados:

Entrevista XII: Sr. Marco Antonio Rattes Nunes: (http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2013/12/serie-entrevistas-xii-sr-marco-antonio.html);

Entrevista XI: Sra. Ana Carolina Monteiro Porto de Oliveira (http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2013/11/serie-entrevistas-xiii-sra-ana-carolina.html);

Entrevista X: Sr. Jeronimo de Araujo (http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2013/10/serie-entrevistas-xii-sr-jeronimo-de.html);

Entrevista IX Sra. Lieden Maria de Oliveira Carvalho (http://historia-do-prp.blogspot.com.br/2013/07/ssss.html);








8 comentários:

  1. ***Olá, sou de Lins e tive o privilégio de conhecer o Sr. Rufino, e mesmo colaborar com algumas modestas matérias em seu "Jornal A Voz do Oeste" como articulista [ACCLARO] - Rufino Levi de Ávila acaba de lançar seu livro (em 2ª edição) "Memórias de um ex-seminarista" pela Editora O Lutador - Belo Horizonte.
    ***Parabéns pelo ótimo blog, em especial por esta entrevista com este homem notável, e um dos melhores revisores do Brasil.
    Antonio Carlos Claro - Lins, SP

    ResponderExcluir
  2. Prezado Antonio, obrigado pelas palavras, estarei nos próximos dias postando algo a respeito do livro do Sr.Rufino, inclusive sorteando um exemplar.
    O Jornal a Voz do Oeste foi o principal difusor do Integralismo nos anos 90, creio que seja interessante um livro contando a sua historia.

    Abraços.
    Guilherme Jorge Figueira

    ResponderExcluir
  3. Meu avô Rufino, parabéns!

    Att... Vinícius de Ávila Brandão.

    ResponderExcluir
  4. Vinicius, eu que agradeço a oportunidade em colher depoimento desta notável figura que e seu avo, parabéns.
    Se possível, entre em contato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Facebook? ou email talvez.

      Excluir
  5. Prezado Anonimo, não possuo facebook, porem o senhor pode informar seu e-mail para contato.
    Obrigado pela visita.
    Guilherme Jorge Figueira

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pela luta incansável por Deus, Pátria e Família.

    Marcelo Ramos de Ávila, seu filho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pela mensagem, seu pai e um exemplo para todos os brasileiros.

      Excluir

Obrigado.